Informativos

Minicurso Instituições e Crise Política no Brasil é realizado por DCS e PraxCis

A PraxCis e o Departamento de Ciências Sociais organizaram o minicurso: Instituições e Crise Política no Brasil. O evento aconteceu nesta segunda-feira, dia 23, no auditório da Biblioteca Central do campus Viçosa, das 14 as 18 horas e foi ministrado pelo professor Jeferson Boechat. O minicurso teve como objetivo contribuir para a reflexão a respeito do atual contexto político brasileiro através do uso de instrumentos analíticos (modelos, teorias) que possam auxiliar no entendimento da questão.

A palestra foi dividida em quatro partes, a formação do Brasil, a nossa herança, a descrição da crise política no Brasil e algumas indicações. O minicurso começou com uma suposição, apontando que para uma compreensão da crise política é necessário investigarmos elementos históricos referentes a formação do Brasil, sendo que nesse processo de formação tenha cultura.

A cultura é um conjunto de crenças, expectativas e valores que segundo Ortiga y Gasset, é um “sistema de crenças”. No processo de formação do Brasil foi gestado uma cultura que tem grande persistência no tempo.

O professor Jeferson Boechat começa o minicurso contando uma história, essa história falava de uma enorme porção territorial que começou a ser explorada por um pequeno reino europeu, com este reino vieram pessoas para explorar as riquezas da terra, essas pessoas comungavam um certo padrão de conduta, que era um certo desejo de fidalguia, ou seja, desejo de se vestir bem e de viver de seus rendimentos sem trabalhar, tendo privilégios por meio da descendência.

A história continua contando que esses aspirantes a fidalguia eram acima de tudo aventureiros, ou seja, pessoas que buscam recompensas imediatas, buscam vantagens sem arcar com custos, assim essas pessoas tem um caráter individualista, ou seja, gostam de elevar-se acima dos demais em riqueza e privilégio.

Uma das principais vertentes abordadas no evento foi: “Sua vontade é sua lei”, assim o minicurso abordou a ocupação territorial no Brasil colônia, evidenciando a limitação do estado português, os senhores da terra e os aventureiros. Além disso, foi apresentado o surgimento da família patriarcal que foi constituída alheia a autoridade do estado português.

Sérgio Buarque de Hollanda é citado na relação do padrão cultural como herança colonial, reconstruindo teorias de Weber, ele criou um modelo ideal de pessoa que é abstrato e que é um instrumento para a compreensão de fenômenos e de ações reais.

Então é apresentado o Homem Cordial, principal tema da palestra, que tem como significado ser um homem individualista, que busca vantagens a curto prazo, que é aventureiro, tem características predatórias, age de acordo com o emocional, tem como alvo as outras pessoas, lança luzes sobre o comportamento dos indivíduos em sociedade e coloca a culpa em quem agiu antes dele. Para ele as regras só serão cumpridas se forem vantajosas ou se forem impossíveis desobedece-las. É eese homem que deve ser erradicado, para só assim podermos ter de fato uma verdadeira democracia e superar a crise no Brasil.

DSC_00013

 

DSC_0014

 

DSC_0015

SAIBA MAIS SOBRE A UFV

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress